quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Do novo ano novo..





Ansiando a liberdade, sai sem titubear, o ano velho porta afora.. 
Já usa bengala o pobre velhote..
Normal que apresente certa dificuldade, afinal foram 365 dias carregando o famigerado galardão de 2017.. 
E foram tantos descompassos e tantas tragédias e tantos políticos ineficientes.. 
Mas o velhote recorda-se ainda das flores e dos amores e dos pequenos milagres.. 
Insiste ele em observar as imensuráveis bênçãos que a vida lhe deu ao longo do ano.. e não foram poucas - lembra ele!! 
Lembra-se do saúde que tem, do sorriso do filho, das afeições que ganhou.. 
Lembra-se do choro incontido, das vicissitudes e também de todas as alegrias que tivera.. 

Do outro lado da rua, lá está, na calçada, o jovem estreante ano novo.. 
E é tão novo que espera ansioso para assumir suas obrigações, para realizar os sonhos e os infinitos quereres.. 
E é tão ávido o ano novo que tudo lhe parece ser uma grande aventura.. 
E assim, ébrio de tudo, brinda a vida como aquele que, ainda na maternidade, abre seus olhos para ganhar o mundo.. 


Silêncio: O ano novo acabara de nascer!!!