quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Ahhh o tempo..

Dali - A persistência da memória



Ahh o tempo, cabide de horas findas!!

Vão-se os minutos e a gente segue virando a ampulheta. E vira-a novamente e, mais uma vez e outras incontáveis vezes..
A vida é esse eterno rodar de ampulhetas..Cria-se pó, nascem aranhas e, a ampulheta lá, estátua de areia. Um dia, já tarde, vem a morte e sua ceifa e, pronto, a ampulheta sucumbe imersa em areias..
Outros dias virão e novas ampulhetas e novas ceifas.. Eternas.. só as areias espalhadas pelo tempo, o tempo meu, o tempo teu, o tempo já..

Nenhum comentário: