quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Canta-te, poeta..

Repara como a vida é um livro que escreves, poeta..
onde fazes nascer tuas palavras doces,
teus devaneios líricos,
teu desassossego amoroso.
Canta-te, poeta nas linhas da tua partitura torta..
Canta-te sinfonia de pássaros mudos
no amanhecer da vida..
Canta-te lindamente...
Não feches o livro, poeta..
Não abandones a pena..

(c/ carinho talismânico de poeta preta)

Nenhum comentário: