sábado, 27 de novembro de 2010

Naufrágio


E das cartas que me escrevias, amor, fiz tesouros de se guardar..
Letras tuas que perdi inteiras no grande naufrágio de mim..
Também teus beijos eram naufrágios..
 naufrágios nos mares de ti..
 E quando partias, barco à vela,
ficava eu no cais,
 rezando ventos de Iansã
pra te ver atracar de volta no porto,
o corpo meu que fizeste teu.



Foto: Daniela Possamai - Zakynthos

Nenhum comentário: