quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Corpo teu




No labirinto da cama..
perdido..
cego...
 a tatear as paredes da tua clausura,
 os muros da minha pele,
 as porções tuas do meu corpo..


Bruno di Maio





Nenhum comentário: