quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Mãos vazias



 

E sim, minhas mãos estão vazias de versos, poeta!

Te deixo apenas ternura,

essa ternura minha,

nas linhas deste teu caderno..

teus pergaminhos de poeta!

Nenhum comentário: