sábado, 20 de novembro de 2010

Vô..






O tempo, cavalo de asas, corria veloz naqueles dias.
A própria vida voava, ciclópica, no teu rosto de avô.
Tuas linhas marcadas, teus anos de outrora..
Vozinho, teu óculos, tua bengala
teu contar dinheiro debaixo da maria-mole.
Visões da minha infância de menina..
No teu colo fazia meus temas
e as nozes que quebrávamos nas pedras..
as ovelhinhas que nasciam no inverno, pequeninas, indefesas..
e os cães que a gente amava..
quantos deles enterramos juntos, vô??
quantos anoiteceres vimos do nosso vale encantado??
Vô, meu vozinho querido,
hoje canto-te com voz de saudade,
Canto-te melodia de cabelos brancos e cachimbos
Canto-te com voz de menina que fazia do teu colchão de molas minha cama elástica..


Foto: Daniela Possamai - Bento Gonçalves



Nenhum comentário: