domingo, 5 de dezembro de 2010

Invento-te



 fonemas para falar-te, amor.
letras minhas delicadas,
canções que faço de ti.
para ti.
música minha que és tu.
quero tocá-lo a cada segundo.
nesta ânsia de ti que me faz
perder a hora e os sentidos
tu, esta busca insensata que meu corpo deseja
teu cheiro no vento
tuas mãos de horizontes
busco-te nos sonhos, na pupila do olho meu
e se não estás, amor,
invento-te meu..



Eros e Psique

Nenhum comentário: