segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Estaleiro



Eu era vazia de ventos, poeta..
Mas tu me trouxeste a tempestade!!
E rompes minha alma,
E invades a mim
E eu vejo aqueles teus olhos..
Ahhhhh esses teus olhos, poeta!!
Olhos de areia onde eu,
ave deserta, voo procurando água.
Dunas de ti que cruzo na imensidão do azul para encontrar-te.
És sombra, árvore, fruto..
és cais de areia onde atraco.
E eu, barco à vela, desejo nunca partir..
Quilômetros que andei..
Oceanos que vi no horizonte!
Sim, poeta, és tu o estaleiro meu..


foto: D. Possamai - Davenport - N. Zelândia

Nenhum comentário: