quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Antologia do vento





e das letras que escreves,
guardo-as.
na caixinha do futuro.
anais.
letras tuas de amar,
escritas nos papéis de carta,
aqueles antigos,
cheios de corações na borda.
pergaminhos de seda onde,
em ouro,
estarão impressos teus versos..
para os pequeninos..
para que te ouçam
depois de amanhã.



Ao imenso poeta Marcelo M. Soriano, filho dos mares e Oxalá,
tu, mestre confeiteiro de versos e sonetos de amor e mel.
Por que as linhas tuas que são música de se ouvir no vento..
Saravá!!!

Nenhum comentário: