segunda-feira, 14 de março de 2011

A nuvem que via o mar



Tudo era branco, pálido, morto
A loucura insensata branca
e as pardas paredes brancas
bardos colares brancos
penas,
santos,
deuses
cinza branco
cimento branco
árvore branca
o mundo era branco
vácuo branco
galáxia nula
poeira nihil
planeta inexistente
satélite nada
anti matéria branca
só o mar
o mar sim,
o mar era Negro e Morto e Marmara
Brincando de nuvem eu vejo o mundo de longe..
não é azul..
é branco de tudo e negro de nada..



às vezes me imagino nuvem e brinco de pintar o mundo em cores primárias..alcança-me o verde pra eu pintar as araucárias e os sorrisos amarelos.. sorrisos amarelos verdes de esperança.. para um amanhã melhor e furta-cor!!


Nenhum comentário: