terça-feira, 15 de março de 2011

Poema de folha invisível


Escrevo para ti um poema de folha invisível
na alma minha inquieta desenhado.
um poema sem linha ou rima.
poema  nude que sinto penetrar a pele
como percorrem em mim
sempre sedentos
teus dedos de magia.
a folha invisível te descreve velozmente
tuas mãos de querer profundas
teu rosto que me olha quieto
olhos que parecem admirar essa estátua inacabada
eu, a estátua nua, buscando teus braços
pontes que nos ligam como amálgamas
tu és o manancial das águas minhas de mar
e eu te refaço em poema
pra dizer-te do meu amor ingênuo
do meu amor calmo e cais
faze meus teus dias
e canta-me nos versos teus
na areia que desenhaste sob os meus pés..

Nenhum comentário: