sábado, 26 de março de 2011

Sophia de ti

Sempre me encantaram, de forma profunda, os poetas portugueses.. Há em especial Sophia de Mello Breyner que me faz comover a alma de sorrisos..
Esta semana me encontrei com estes versos..  não dela, mas sobre ela..
Deixo aqui, arquitetado no templo, as recordações de outro que faço minhas..
As recordações de ti, Sophia..


sophia de ti
disseram-me que
recitavas poemas
em voz alta nos eléctricos
que cantavas nas ruas de Lisboa
enquanto os teus filhos te procuravam
(viram a mãe, aquela que troca tudo e não confunde nada)
e dançavas frente ao espelho dos teus olhos
sempre sempre ao desafio

ah sophia
sofia eras
sophia és

(passeei pelo teu jardim
tão abandonado estava
deu-me vontade de chorar)

in Aluimentos, Bénédicte Houart, Livros Cotovia, 2009, p. 56.

Nenhum comentário: