quarta-feira, 4 de maio de 2011

Quimeras de Paris


Não me encantam a torre, nem o Louvre, nem teus campos elísios..
O que me encanta em ti não és tu,
mas o que, misteriosamente, provocas!!
São os teus arrabaldes..
tuas esquinas profusas..
tua inquietude quase musical.
A poesia tua desencontrada e cativa..
a cor imperceptível nos jardins de Monet,
e o grito de súplica na órfã de Claudel.
Para um pouco!
Silencia!
Ouve o que te digo!!
Não és tu!!
São os teus efeitos de absinto!!

Antes de Haussmann não eras nada, minha senhora!
Agora,
perdem-se em ti
os silenciosos e desconhecidos artistas do nosso tempo.
Cantam-te em luzes e os panos todos da tua bandeira,
flâmula de ultrapassados reis e uma coroa hipócrita.
Não, não são teus ícones populares
nem tua revolução utópica.
Não são tuas ruas bonitas, tua língua difusa..
nem teus falsos ares aristocráticos.
O que me encanta em ti é ver-te sob a perspectiva de uma quimera..
é debruçar-me no olhar de um monstro e inebriar-me da tua beleza.







Agrada-me mais outra perspectiva ao olhar atento dos teus milhões espalhados pela praça, minha senhora!!
Descubro que te prefiro como és.. em p&b!!
Fotos: Daniela Possamai
maio/2011

Nenhum comentário: