sexta-feira, 3 de junho de 2011

No teu nome, as minhas horas




E o teu nome percorre meu corpo em longas sílabas.
Deixas em mim desenhadas tuas letras sutis..
letras tão delicadas como pétalas.
São as canções tuas de se escrever na pele.
versos teus que ouço deslizarem o dorso e a alma
como andam em mim teus dedos de magia.

Não te sabia canção, amor..
Nem pianos e sonatas..
Só as tuas mãos de ventura
e o teu olho suave de paixão.
Uma paixão calma e clara
que as horas tem teu nome, amor..
e os minutos são só frêmitos do meu corpo à espera
à espera que entres pela porta e me sorrias palavras
e me toque com tuas mãos de veludo,
delicadamente,
me toque
e então, amor,
eu morro,
nos teus braços eu morro, amor..


chagall - the enamoured

Nenhum comentário: