segunda-feira, 6 de junho de 2011

O decálogo do meu amor



I
 Amo-te com todo o meu amor devotado..
Amo-te música e benção.
Prece que sussurro ao teu ouvido. 
 Devoção.
 Sinfonia de se escutar mudo.

II 
Amo-te na beleza apolínea que ostentas.
Amo-te pele, ouvidos e boca.
Braço. 
Mãos que acariciam o rosto.
 Ternura. Ternura. Alma.

III
 Amo-te poema que completa. 
Amo-te sílaba, nome, verso.
 Cânticos que desenhas nos limites do meu corpo.
Labirintos onde nos perdemos.
Encanto. Doçura.

IV
 Amo-te sem ontem.
Amo-te já
 e agora
 e mesmo que o amanhã não surja,
 amo-te minuto, hora.

V
 Amo-te sem medo.
Amo com meu amor de entrega e a ti entrego a mim, amor..
Carrega-me leve como pétala sobre a água.
Suave. Transparente. Tua.

VI
Amo-te porque te sei.
Conheço teu revés,
 teu olhar de ternura que me olha e me estende a mão.
 Amo-te porque és a minha casa.
Ninho. Abrigo. Telhado.

VII
 Amo-te porque cruzamos nossas vidas e roupas e peles num mundo único.
Só nosso. Terras distantes. Mares sem fim.
Céus e os continentes todos.

VIII
Amo-te porque confundimos o nosso olhar.
Porque tu tomas meu olhar emprestado
 e eu, amor, olho o mundo com teu olho.
 Sonhos teus. Desejos tão meus.

IX
 Amo-te porque se não o amasse não haveria sol nem ar.
Amo-te na minha pele confundido.
 Luz que aquece. 
Perfume em gotículas de orvalho.
Manhã.

X
 Amo-te porque és tu as quatro estações.
 Os 7 mares.
 As flores todas.
 O mundo inteiro.
 Amo-te porque sem ti não sei viver..
 E se vivo, o faço porque te amo..


Rodin - Eternal Springtime

Pensando na comemoração do dia dos namorados, escrevi este pequeno decálogo..
Porque não há amor pra ser comemorado num dia apenas..
o amor amado é diário e dorme na cama dos amantes..
um amor para ser louvado, abençoado e escrito em sinfonias em dó menor..
as sinfonias que fazemos a dois!
23/05/2011

2 comentários:

Anônimo disse...

Ficaria melhor se informasse autoria.

Marly Ferreira é autora

A filha da Baronesa - Daniela Possamai disse...

Caso analise meu blog, perceberás que toda vez que cito palavras de outras pessoas, a autoria é SEMPRE mencionada - isso já está descrito em campo específico no próprio blog. Não sou dada a plágios e nunca os defenderei, aliás, a reprodução alheia sem a citação da fonte, encontra em mim, total repúdio.  Caso tenha lido o poema referido ou qualquer outro de minha autoria em algum outro local, a cópia sem autorização ou menção da fonte, necessariamente, não é minha. 
Atenciosamente, 
Daniela