segunda-feira, 11 de julho de 2011

A estética da ausência



Ausência, uma porção de dor!!
e como machucam tuas horas
e como são difíceis os teus dias..
te olho de relance, Ausência..
és tão fria e tão longe
que sequer ouso te chamar..
mas tu vens mesmo assim
e entras na sala
e me olhas nos olhos como quem busca a alma..
és o tormento onde residem os amores perdidos
os vácuos meus por onde navegam os pensamentos órfãos..
mas és também um jardim
um jardim onde florescem as flores cinzas da perda..
As margaridas sem água,
As pétalas de ontem..
és tu o próprio retrato da insensata morte
A morte, mesmo quando ainda se vive..



"Tu ausencia me rodea
como la cuerda a la garganta,
el mar al que se hunde."
(J. Luis Borges)



Nenhum comentário: