quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Adágios sobre o tempo - Parte VI



O tempo é uma abajur funesto que deixamos no canto da sala..
meio indefinido, meio sem cor..
uma variável da existência, que nós, seres de tantos deuses,
 nos achando muito espertalhões, fingimos que driblamos..
Mas um dia, de repente, e de forma não muito solene
 o abajur vira um elefante rosa lá, no meio da sala, atrapalhando a passagem..
e já é tarde, meu amigo!
O tempo nem te esperou!!
Menino bobo, saiu correndo pela janela, pegou carona num foguete e,
pelo andar do vento, talvez não volte mais..


Elefantes - Dali

Nenhum comentário: