sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Tu, matéria-prima de poema


Um poema que fale de ti..
Que te conte em detalhes e te reveles grande e imprevisto..
Um poema de amor,
Sim, porque sempre serão de amores os poemas.

E eu te escrevo, descrevo, classifico, anoto..
Faço de ti meu poema e todas essas linhas..
E, às vezes, meu amor,  não sei dizer-te..
Porque tu és mais que uma palavra ou folha solta..
Às vezes tu és outro -  pedra sólida sem cimento..
Às vezes, amor, tu moras em Saturno.

E eu, eu preciso, desvendar-te na escuridão,
Eu preciso ver-te assim tão longe, tão calmo e inesperado..
Queria-te meu com os girassóis na mão..
Queria-te pé, traço e alguma poesia..
Queria-te beijos e abraços,
Queria-te boca, amor,
Essa boca tua, para perder-me..



Nenhum comentário: