sábado, 14 de janeiro de 2012

Vidas e violetas



Eu sou uma escritora das horas vagas,
horas intensas,
horas impróprias,
horas violentadas pelos minutos pálidos e díspares..
E escrevo a vida como a vida me escreve..
Brevemente, impropriamente..
Escrevo em canções de labaredas e quereres.
Porque a vida é ávida.
Bicho curioso - farejando a própria sorte..
E as letras minhas são quase punhais de aço cujo fio é algodão doce.
Há de ser breve, vida minha.
Mas também há de ser leve.
Há de ser azul como são os horizontes..
E violeta, porque é essa a cor dos teus olhos..

Nenhum comentário: