quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Poema da Separação - Segundo Ato



Porque eu tenho os olhos cansados de tanto esquecer-te
e as mãos fatigadas de tanto abandonar-te
A minha carne é lassidão e cansaço.
e os meus lábios peregrinos futuros.
Deixei-te junto ao desamor
uma cama vazia de lençóis brancos,
as paredes sem retratos
e nenhuma lembrança.

E do que fomos outrora põe na mala e carrega junto de ti.
Não quero as tralhas, os talheres, os retratos.
Não quero nada.
Leva contigo os discos, as cobertas, as flores secas.
Já não as quero.
Já não te quero.
O amor morreu outro dia.
O matamos de asfixia.
E as palavras agora já não fazem sentido.
O nós de outrora hoje respira vazio.
E eu já não sei dizer-me ou dizer-te..
Morri com o amor.
Atirei-me da janela!!
Adeus.



Separação II - Munch

Nenhum comentário: