sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Poema do desamor


Também me disseram os outros
Que todo poeta deve escrever um poema de amor..
Eu,
Que não sou poeta nem chego a ser poeira
Escrevo um poema de desamor
Porque hão de ser cantados também os desamores
Hão de ser esquecidas, um dia, num futuro próximo, as desistências
Mas eu não sou poeta
E não cabe a mim dissecar um desamor como um cadáver
A mim basta rezar os réquiens
E desenhar a flor azul da perda - uma rosa desbotada.
A mim basta que feche a porta..
E te diga, sem delongas, adeus..


Nenhum comentário: