quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Um poema de amor sem amor




Um poema que fale de amor sem amor.
Um poema sem palavras bonitas,
sem rosas,
sem entardeceres,
sem corações apaixonados,
sem beijos ou pétalas ou aquelas vozezinhas que a gente faz quando ama.
Um poema sem qualquer outra breguice.
Um poema que se desenhe à seco,
sem água, nem oásis.
Um poema assim - deserto vermelho -
morrendo à mingua
de inanição..




Fotos: Peter Lik

Nenhum comentário: