quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Uns versos meus, imperfeitos e inacabados




E eu teria tantas coisas a dizer-te,
Tanta vida,
Tanta lágrima
E todos esses meus sorrisos..

Eu poderia escrever-te em versos
Eu poderia desenhar-te em esboços coloridos
E poderia construir-te - pedra e cimento
Mas nada,
Nenhuma sentença ou saudade
Fará exprimir o todo que és tu..
Eu poderia congelar-te, para sempre, num iglu..
E acorrentar-te a mim como Sísifo e a pedra,
Mas não,
Eu o quero pássaro, asas e zéfiros..
E mesmo que eu desenhe todos os versos e todos os sonetos do oriente,
Mesmo que eu me vista de palavra e te descreva imperfeito
Ainda assim, amor, o infinito de ti seria maior
e eu teria de gastar todos os meus dias para desenhar-te..


Nenhum comentário: