sexta-feira, 6 de abril de 2012

Poema sincero nr. 1



E por que razão ando tão triste?
Como se em mim houvesse remendos e pedaços espalhados..
Como se estivesse dilacerada,
com minhas carnes ao chão..
para os abutres..
Como se houvesse só cinzas nos dias e dores nas enfermarias.
Há minutos em que não há luz,
em que não há, no reino, alegria e alguma leveza..
É tempo de colorir, eu sei,
mas em mim já há mais flores..


Morte na Enfermaria - Munch

Nenhum comentário: