sexta-feira, 6 de abril de 2012

Poeminha insistente e táctil




Mas quando nasce o poema
voam através de ti os encantos..
Tu és a razão e o objeto dessas linhas..
E se te desenho assim,
tão insistentemente,
é por que tu permaneces intacto,
na pupila verde do meu olho..
É por que em ti está a origem das horas e das folhas de outono..
É porque estou eu,
como perfume,
impregnada da pele tua. 


Nenhum comentário: