quarta-feira, 30 de maio de 2012

Lonjuras




Quisera falar-te
Quisera olhar-te
Quisera ter-te.

Mas tu és feito de lonjuras, amor..
Tu és distância e horizontes.
E quando te vejo, amado
pareces estar no mar da Tasmânia,
entre os fiordes e as neves..
Pareces navegar outras enseadas,
entre os atóis e as baías todas..
Mas eu, eu não tenho os mapas cartográficos
E a mim faltam as bússolas e todas as caravelas.

Diz-me, amor
diz-me então como buscar-te
Que eu atravessarei os mares bravios para encontrar-te..

26/05/12

"Não fora o mar,
e eu seria feliz na minha rua,
neste primeiro andar da minha casa
a ver, de dia, o sol, de noite a lua,
calada, quieta, sem um golpe de asa. "
Fernanda de Castro, in "Trinta e Nove Poemas"





Nenhum comentário: