sexta-feira, 1 de junho de 2012

Memórias para o fim da esperança


E que deus é esse agora??
Outrora suplicastes aos céus as tolices vossas de cada dia..
Hoje bastam-vos as igrejas já em ruínas..
Cartago, Éfeso, Mystras e seu calcário morto..
Que deus tão vil vós procurais em vossas preces infames?
Que alegrias achareis nesse porvir indefinido??
Chega de embustes,
Enterrai vossas falsas divindades
E por favor, encerrai para sempre, num labirinto, os sofismas de vossas primaveras..
Acabai com esse vosso deus judaíco-cristão
Esse mesmo deus tirano e inventor de grandes fálacias.
Abandonai a vossa culpa secular
Jogai fora esses dogmas enegrecidos e putrefatos
Respirai o ar puro, senhores
Debaixo do céu, o homem..
Atrás dele, as estrelas..
Alegrai-vos porque a esperança está morta..
E é no Godwin Austen que residem suas cinzas..

31/05/12

Não posso acreditar num Deus que quer ser louvado o tempo todo.
As convicções são cárceres.
Friedrich Nietzsche



Nenhum comentário: