sexta-feira, 1 de junho de 2012

O amor de muletas



E o que dizer de ti quando te sei silêncio e contemplação
Quando te sei metade
Quando te sei escuridão e promessa
Que fazer sem ti nesses dias imprecisos??
Diz-me como viver..
Diz-me como atravessar o muro e romper a clausura..

Eu sou aquela menina amputada
de mãos atadas e membros sem movimento.
E ainda que eu não tenha pernas.
Ainda que eu use muletas
Eu sei que posso correr,
Mais do que isso, eu aprendi a voar.
Voar, pássaro livre..
E é no teu corpo, meu amor, que eu farei a minha casa..

26/05/12

Nenhum comentário: