terça-feira, 5 de junho de 2012

O miosótis atropelado e amor apressado


E pisaste naquele miosótis sem saber que aquele era também um poema..
Pobre miosótis machucado!!
Morreu na calçada, como um pacote azul estraçalhado..
Tão descuidados foram os teus pés de pressa que sequer o vira..

E a pobre florzinha era um poema que falava de dor
Da infinita dor dos amantes que se suicidam por não se deixarem amar..
Da infinita e implacável dor que sentem os amores que não tiveram chance de viver,
Aqueles amores negados, engasgados num bocado de ontens..
Aqueles, cujos amantes insensíveis os aniquilam antes do derradeiro fim..
Os amores que morrem pela falta de carinho, de cuidado, de discernimento,
Aqueles que morrem pela falta de tudo,
até do tédio que não viveram..




Nota: a escolha do miosótis não fora fortuita..
Essa florzinha, de um azul delicado, é originária da Rússia. 
Na Europa, o miosótis é mais conhecido por "forget-me-not",
 embora, muito terrivelmente, tenha sido ele utilizado como símbolo
 da maçonaria durante a segunda grande guerra..
04.jun.12




Nenhum comentário: