terça-feira, 5 de junho de 2012

Poema do amor diferente



E fico me perguntando como diria "eu te amo" de uma forma só minha..
Sem ser assim um "eu te amo" comum, banalzinho..
Um "eu te amo" que te faças perder o chão e te carregue direto à minha boca
Um "eu te amo" que te diga baixinho "sou tua", "te quero", "te vivo"..
Que te faças abrir um sorriso e te deixes suspirando horas a fio..
Não, muito mais do que isso, um "eu te amo" que tu saibas ser só teu..

Sabes, amor..
Quebrei a cabeça a tarde toda,
E nem me dei conta de que a solução estava bem ali,
bem debaixo do meu nariz..
ao alcance da minha própria boca..

Se te amo, amor.. Te descrevo!!!
Te conto nessas linhas minhas tão imensas de ti
Se te amo, amor.. És tu o ar
E eu sou só balões coloridos.
Se te amo, amor.. Te grito!!!
E é num arcaico megafone gigante que te anuncio..
(Aí de mim, essa pobre poetisazinha preguiçosa)



"Para a mais alta busca
Um grito de que o meu seja o eco."
Paul Eluard, in "Algumas das Palavras"

foto: d.possamai

Nenhum comentário: