sexta-feira, 1 de junho de 2012

Saudade muda - segundo ato



Eu tenho uma saudade muda!!!
Eu tenho uma saudade muda que às vezes grita!!
Grita tanto que é impossível não ouví-la..
Grita tanto que chega à tua janela e te olha com esses meus olhos ternos
esses olhos que te pedem pacientemente: escuta!!

Mas tu, tu nunca a ouves..
Então, amor, eu só te peço acalanto e uma breve pausa..
Rasga esse teu coração de níquel e me escuta..
Eu tenho uma voz muito rouca, amor
Escuta-me porque eu tenho muito pouco a dizer-te..
Sou só pranto e uma saudade ancourada..
essa saudade que te diz baixinho
que te sorri com a boca pequena
que te enxerga cais..  no meu mar sem fim..

28/05
"Ninguém entenda, embora,
Esse vago clamor, marulho ou versos,
Que sai da tua solidão nas praias,
Que sai da minha solidão na vida...
Que importa? Vibre no ar, acode os ecos
E embale-nos a nós que o murmuramos...
Versos, marulho! Amargos confidentes
Do mesmo sonho que sonhamos ambos!"

Vicente de Carvalho - fragmentos



Nenhum comentário: