quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Poema para os amanhãs




Não fossem esses sonetos, amor
E eu te beijaria a boca até amanhã
Por que amanhã é dia dos teus braços!
E amanhã serei tua.
E tua depois de amanhã!!
Amanhã, 
enquanto despertam a cidade e os colibris.. 
Naquela hora em que o céu matutino se veste de amarelo.
Amanhã, depois que a lua embalar o sono dos meteoros!
Por que amanhã é dia da tua boca!!
E amanhã serei tua.
E amanhã, devagarinho, no teu abraço depositarei meu corpo.
E amanhã te deixarei minha pele nua.
E esse meu rosto todo..
Mas só amanhã.. 
Porque tu és feito de amanhãs!!
E sempre serão tuas as horas vindouras.
E ainda que me confundas com ontens..
Amanhã serei tua!!
E tua todos os amanhãs..


Lautrec - O beijo

Nenhum comentário: