sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O último beijo





Ainda que deus pinte o dia de cinza
e que as rosas brotem inodoras.
Ainda que a feiura adorne o relevo
e que se desfaleçam no chão todas minhas crenças..
Há sempre algo que diz que chegará a brisa a limpar-me o  pó dos olhos..
Sei que haverá o dia e tu terás chegado.
Basta que chegues, meu amor..
Basta que venhas e os meus olhos riem..
É isso que me salva!!
E então, me ponho a escrever.
E escrevo sobre as rosas espalhadas na tua sala,
Sobre o verde dos teus olhos,
Sobre a cor tênue da ternura,
Sobre ti emoldurando minha cama.
E outra vez meu olhar fica bonito,
porque em tudo que escrevo
apareces tu escondido.
Talvez sejas tu minha ferida!!
dessas que não curam nunca.
Mas de ti minhas linhas se escrevem sozinhas
Sem mágoas ou poréns..
Talvez sejas tu um milagre!
Uma alegria disfarçada ou um menino bonito.
Sei que o inverno foi longo e choroso..
Mas também sei que tem chego a primavera.
E então não te surpreendas!!
Porque um dia regresso e te roubo o último beijo..

 "Ah! Num delíquio de ventura louca,
Vai-se minh'alma toda nos teus beijos,
Ri-se o meu coração na tua boca!"
Augusto dos Anjos


 The Kiss - Alexandre Steinlen

Nenhum comentário: