segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Minha caixa de Pandora





Abri a minha caixa de pandora
E o que havia lá???
Amor..
Um amor tão imenso que até a caixa tornava-se minúscula
Um amor de se sentir sozinho e amiúde,
Um amor assim gigante,
Assim bonito,
Mas um amor assim quieto, assim calado..

Sei que o mundo muda a toda hora.
Sei da vida.
Sei da morte.
Mas amor, ainda que passem esses breves minutos
Ainda que a aurora desperte verde,
Meu amor - este amor -  estará lá..
Forte e pedra..
Incólume as tempestades e aos ventos..
E sim, amor, eu te amo tanto que já não tenho mais sinônimos..
Por favor, silencia essa minha voz..
E só escuta..
Escuta..
"até onde te espero:
estaremos sempre sozinhos,
estaremos sempre tu e eu
sozinhos na terra
para começar a vida."

Pablo Neruda, in "Poemas de Amor de Pablo Neruda"


Nenhum comentário: