quinta-feira, 16 de maio de 2013

Eu



Podia ser outra e outra e mais outra
Podia ser tantas e nenhuma
e ademais podia ser ninguém..
Acontece que sou eu..
acontece de vez em quando,
mas só de vez em quando mesmo..
Quando penduro minha alma no varal e fico lá,
ao gosto do vento,
cantarolando melodias de ser..



(Aí de mim, esse espectro de alma, na tentativa inexata de ser..
de ser uma gente ou uma pessoa ou um bolero açucarado.
Difícil adivinhar-me ou saber-me ou viver-me..
Difícil existir-me!!)

 
Magritte

Nenhum comentário: