quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Poema do não esquecimento



E ponho teu rosto num lapso do tempo
E fico a te observar como se morasses tu congelado na minha pupila..
Não me esqueço de ti..

Não me esqueço de ti
Porque reside um mim esse teu olhar e uma certa angústia..
Habita em mim uma quase ânsia..
Um certo desassossego..
Uma tal inquietude..

Não me esqueço de ti
Porque meu corpo guarda encerrado teu cheiro
Não me esqueço de ti
Porque estou acostumada a curvatura do teu corpo e conheço a história do teu rosto..
Nao me esqueço de ti
Porque tu és toda uma fábula que escrevi em mim..
Tu és toda uma rima que desenhei n'alma..

E se te vais, meu amor, vão contigo meus dedos e minhas vísceras..
Vai contigo a alma e a pele minha adormecida do teu cheiro..
Por isso te peço.. Fica!!
Põe meu corpo sobre o teu, beija-me ternamente e me faz dormir..




Nenhum comentário: