quinta-feira, 7 de julho de 2016

Poeminha do amor amarelo



Não era azul o amor, 
Era amarelo - Travessia de outono
(entre os ocres e os verdes)
Tinha lá uma leve singeleza como as folhas levadas 
E uma brisa que soprava na direção leste 
Era tão inocente o amor, que jovem ainda, pulava os muros da escola só para ver a amada.. 
Não tinha nenhum remendo e não acalentava mágoa alguma 
Era tênue e miúdo, quase margaridinhas mágicas.. 
Era um amor tão belo, tão singelo que se tornara amarelo.. 

(Dos 23 poemas de amor)  
07/julho


Nenhum comentário: