domingo, 3 de julho de 2016

Poeminha do amor espantado



Como são espantosos os amores que chegam de repente, 
Os amores cujos amantes são  abençoados no ínfimo instante.. 
Aqueles amores que se cruzam nalguma esquina encantada, 
Que chegam como outonos silenciosos..  
Os amores que se amam na metafísica, sem seguir jamais qualquer lógica..  
Um amor ou nenhum amor.. 
Todos os amores.. 
Qualquer amor, por mais diferente, sempre surpreendente será.. 
Porque surpreendente são os encontros que fizemos ao longo da vida.. 
E a gente fica, às vezes, a observar a vida como transeuntes que observam a rua - inertes.. 
Se o amor chegar em forma de espanto ou de algum mágico atropelo, não o desperdice, meu amigo 
Amores e espantos são trens disfarçados de suspiros.. 


(Dos 23 poemas de amor)


Nenhum comentário: