quarta-feira, 13 de julho de 2016

Poeminha do amor incerto






E quando chegara a amada, assustara-se tanto o amor, que levou alguns instantes para recobrar o fôlego.
Parecia não acreditar no que via.. 
Era como se os olhos, dois peregrinos, tivessem simplesmente estacionado na amada.. 
E como se a vida, que antes girava, tivesse, por um motivo qualquer, brecado.. 
Aquele seria o famigerado amor amplamente anunciado?
Aquele seria o amor tão ansiosamente esperado?
Aquele seria o amor nos sonhos sonhado?!? 
Passado alguns breves instantes e, do mesmo jeito e pela mesma porta que entrara, saira o amor pelos ventos.. 
Da amada, só restará uma brisa tênue.. 
E o amado ficou ali, estático, sem saber se aquilo era o amor ou algum mágico e doce engano.. 

(Dos 23 poemas de amor) 



Nenhum comentário: