terça-feira, 5 de julho de 2016

Poeminha do amor singelo






Como são singelos os amores dessa vida,
Singelos e frágeis como folhas de outono caídas na calçada.. 
Amores de uma delicadeza única, Amores que parecem não suportar as atrocidades deste mundo.. 

Há de se cuidar do amor com dedos de acalanto..
Há de se tratar com zelo o amor amado..
E sobretudo há de se ter gestos mansos.. 
Para que não morra o amor, este mesmo amor, de uma morte violenta e anunciada.. 
(Dos 23 poemas de amor) 
4/julho



Nenhum comentário: